12 Feb17:04

Carnaval de Salvador tem 70 toneladas de resíduos recicláveis coletados

Em cinco dias de festa, já foram coletadas 67 toneladas de resíduos recicláveis nos circuitos do Carnaval de Salvador. Ao todo, oito cooperativas estão credenciadas pela Prefeitura para coletar os materiais nas ruas onde a festa acontece, beneficiando 350 cooperados e cerca de mil catadores avulsos. Vendido por cerca de R$ 3 o quilo, a latinha de alumínio é o resíduo mais recolhido, com cerca de 95% de aproveitamento.

Para incentivar também a reciclagem de outros materiais, como o plástico, que não é atrativo por causa do baixo custo, a Empresa de Limpeza Urbana de Salvador (Limpurb), em parceria com a Cooperativa do Bariri (Coopbariri), criou o projeto Plástico é Vida – Reciclagem na Avenida, que consiste no recolhimento do material para reaproveitamento.

Todos os dias, após a passagem do último trio, dez cooperados e agentes de limpeza recolhem o plástico da avenida com a ajuda de um compactador cedido pela Revita. Esse material é doado para a cooperativa do Bariri que, em seguida, vende para uma empresa que fornece a matéria-prima para o presídio da Mata Escura, onde são confeccionados objetos artesanais com materiais recicláveis. Nos quatro primeiros dias da folia, foram coletadas 2,5 mil quilos de plástico.

“É um projeto inovador que busca contribuir para a preservação do meio ambiente, permitindo que os plásticos voltem para a cadeia produtiva. Além de apoiarmos o trabalho tão importante desenvolvido pela cooperativa, esta ação ajuda a preservar o nosso aterro. O projeto-piloto nos surpreendeu tanto que já estamos pensando em aprimorá-lo para o próximo ano", afirma Kaio Moraes, presidente da Limpurb.

As cooperativas compram o plástico por um preço de, em média, R$ 0,80, valor muito abaixo do que é cobrado pelo alumínio. Por isso, o plástico acaba sobrando e indo para o aterro sanitário, poluindo o ambiente. A iniciativa garante um processo de reciclagem mais abrangente e benéfico, já que o plástico leva, em média, 450 anos para se decompor.

Confira os pontos de recebimento dos materiais:

No Circuito Osmar – Complexo, na Ladeira da Montanha, Centro; Complexo, na Rua Direita da Piedade, também no Centro; Coopcicla/Crun: Próximo ao viaduto São Raimundo, Centro; Cooperbariri: Vale do Canela, Centro e Cooperguary, na Rua do Couro, Barroquinha.

No Circuito Dodô – Cooperativa Complexo, na Rua Carlos Chiacchio, Barra; Rede Cata Bahia, na Rua Baependi, Ondina e CRG, na Sabino Silva, Ondina.