10 Feb00:04

Testes rápidos para detecção de DSTs começam neste sábado (10)

A partir das 9h deste sábado (10), os foliões presentes no Carnaval de Salvador poderão realizar os testes rápidos para detecção dos vírus HIV, sífilis e hepatites B e C nos dois postos do Projeto Fique Sabendo instalados pela Prefeitura na Rua Dias D'Ávila, próximo ao Farol da Barra, e no Multicentro Carlos Gomes, no circuito Osmar.

A estratégia do Fique Sabendo visa incentivar a detecção precoce das doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), colaborando para quebrar a cadeia de transmissão no Carnaval. Os serviços serão oferecidos gratuitamente ao público interessado entre os dias 10 e 13 de fevereiro, sempre das 9h às 21h, na Carlos Gomes, e das 12h às 22h, na Barra. A expectativa é realizar 5.000  testes neste Carnaval.

Sexo seguro - Para incentivar a prática do sexo seguro no Carnaval de Salvador, a Prefeitura distribuirá cerca de dois milhões preservativos durante a festa. As camisinhas estarão disponíveis nos 10 módulos situados nos circuitos oficiais, além dos dois postos do Fique Sabendo. A distribuição dos preservativos é gratuita, irrestrita e não há um quantitativo limite a ser retirado por pessoa.

“O uso da camisinha é o método mais eficaz de evitar uma gravidez indesejada, bem como prevenir contra doenças sexualmente transmissíveis nesse Carnaval. Por isso, estamos disponibilizando um ponto para retirada dos preservativos a cada quilômetro nos circuitos. O acesso ao método está facilitado e esperamos que todos possam curtir a festa bem protegidos”, alertou Luciana Peixoto, diretora de Atenção à Saúde do município.

Pílula do dia seguinte – Este ano, a SMS está disponibilizando ainda a ‘pílula do dia seguinte’ para as mulheres que tenham tido relações sexuais consentidas sem proteção anticoncepcional ou vítimas de violência sexual. De quarta-feira (7) até esta sexta (10), duas usuárias buscaram os postos para administração do contraceptivo.

“É importante lembrar que a pílula é um método contraceptivo e não previne contra DSTs. Mas, se por ventura houver algum descuido e a mulher acabar fazendo o sexo desprotegido ou em casos de violência sexual, estamos dispensando no próprio circuito a pílula de emergência que tem uma boa eficácia até 72 horas após o ato sexual”, ressaltou Peixoto.

No caso de pessoas violentadas, os módulos estão preparados para realizar o acolhimento inicial e, em seguida, transferir as vítimas para uma das cinco UPAs de referência onde será iniciado o protocolo pós-exposição (PEP): UPA Valéria; UPA Adroaldo Albergaria; UPA Hélio Machado; UPA Barris; PA Alfredo Bureau.